O Caminho da F1 Atual

A F1 busca se renovar. O grupo de estratégia da Formula 1 já aprovou a volta do reabastecimento e a livre escolha de pneus para 2016 (até então a fornecedora — Pirelli— escolhia quais compostos) e o uso de pneus traseiros mais largos para 2017. Ainda prometeram mudanças para melhorar a performance e a aparência dos carros, mas não se discutiu nenhuma medida até agora.

Várias tentativas para trazer um pouco mais de vida para os campeonatos, que com domínio da Mercedes e a diferença absurda de desempenho entre os carros, dificultou alguma disputa mais acirrada. Por outro lado aWEC ganha cada vez mais atenção das fabricantes e o coração dos fãs, principalmente pela grande possibilidade de desenvolvimento tecnológico e liberdade de regulamento, permitindo coisas que acharíamos insanas, como aNissan fazer um protótipo de mais de 1000 cv e tração dianteira (!) ou oDeltawing. A maior liberdade de pensamento permite às equipes com orçamento menor (como a Nissan) a inovar e fazer algo competitivo e com impacto mediático interessante.

Esses Japoneses...Esses Japoneses…

A decisão de fazer o motor V6 turbo na F1 junto com a tentativa de diminuir custos não foi bem acertada, porque as outras montadoras praticamente tem pouca possibilidade de desenvolvimento para a alcançar as “flechas de prata” com o regulamento restritivo. Ferrari melhorou muito em 2015, mas não o suficiente, a Renault ainda sofre muito com confiabilidade e a Honda ainda engatinha para achar o ritmo, tendo aparentemente melhorado tanto em potência quanto em durabilidade (melhor que a Renault, pelo menos).

O sucesso da WEC faz levantar uma questão. Será que a F1, deveria liberar mais o seu regulamento para melhorar o espetáculo ou só pioraria o caso? As medidas de contenção de custos da FOM não foram bem sucedidas e a diferença de desempenho é muito grande. A Formula 1 precisa realmente trabalhar para trazer mais a atenção de fãs e de fabricantes.

Anúncios

Um comentário sobre “O Caminho da F1 Atual

  1. Não vejo a hora do reinado da mercedez acabar, pra tudo ficar mais competitivo.

Os comentários estão desativados.